ARQUIDIOCESE
de Pouso Alegre

CAL emite nota sobre adaptações e criatividades nas celebrações litúrgicas - por Pe. Andrey Nicioli


A Comissão Arquidiocesana para a Liturgia (CAL) emitiu nessa segunda-feira (18), uma nota a respeito da adaptação e criatividade nas celebrações litúrgicas. A nota vem assinada pelo Arcebispo Metropolitano, Dom José Luiz Majella Delgado - C.Ss.R., e pelo Coordenador da CAL, padre Vanildo de Paiva. A necessidade do comunicado foi percebida após reunião ordinária da Comissão no início deste mês, as quais foram avaliadas e refletidas por toda a equipe. 

As orientações se dão a partir da Constituição Sacrosanctum Concilium (SC), o primeiro documento a ser aprovado pelos padres conciliares durante o Concílio Vaticano II, que reafirma que a Liturgia se destina para o perfeito louvor de Deus e a santificação daqueles que a celebram. 

"Quis o Concílio, antes de apresentar as normas da reforma litúrgica, aprofundar a natureza e os princípios teológicos da Sagrada Liturgia, para que a prática celebrativa fosse coerente com o verdadeiro sentido daquilo que se celebra: o mistério pascal de Jesus Cristo. Mais de cinquenta anos se passaram, e tantos frutos já colhemos desta reforma. Ainda que vozes e grupos isolados vez ou outra queiram retroceder, no dizer do nosso querido Papa Francisco, 'depois deste longo caminho, podemos afirmar com toda segurança e autoridade magisterial que a reforma litúrgica é irreversível' (mensagem aos participantes da Semana Litúrgica Nacional italiana aos 24.08.2017)", cita o comunidade emitido hoje pela CAL. 

Ainda segundo a CAL, "com a facilidade da divulgação do que se passa em nossas comunidades eclesiais via tecnologias audiovisuais e popularização das redes sociais, tem chegado constantemente até nossa Comissão práticas totalmente alheias àquilo que liturgicamente nossa Igreja nos ensina, inclusive em nossa Arquidiocese, de modo especial por ocasião de celebrações solenes (Semana Santa, Festa de Corpus Christi, Festa do Padroeiro etc)". 

Dentre as recomendações da Comissão, a orientação é para que sejam evitadas: uso de alegorias; encenações do Evangelho no lugar da proclamação pelo Padre ou Diácono; Adoração Eucarística ou Procissões ("passeios") com o Santíssimo Sacramento por entre os fiéis durante as celebrações ou fora delas; uso incorreto de data-show; etc.

O documento também orienta sobre a exposição das imagens de santos nas igrejas, como orienta o Missal Romano.  

 

 

 

 

Publicado no dia 18/09/2017