Santuário Nossa Senhora da Piedade – Itajubá

Reitor: Padre Omar Silveira

Informações gerais
Rua Antônio P. de Almeida, 118
Bairro Piedade
37500-000 – Itajubá – MG
(35) 3623-2244
[email protected]
www.sagradafamiliaitajuba.org.br

Um pouco de história

A história da devoção a Nossa Senhora da Piedade teve início na noite de 10 de outubro de 1914, quando dona Virgínia Antônia dos Santos foi avisada em sonho que encontraria uma imagem no caminho da Santa Cruz. Ela não duvidou dos desígnios de Deus, e se colocou a caminho no dia seguinte. Percorrendo as trilhas do bairro Mato Dentro, município de Piranguinho, encontrou a imagem sonhada. A imagem permaneceu na casa da própria dona Virgínia, que um ano depois se mudou para o bairro Tijuco Preto.

Apesar de todo o carinho e orações que já ocorriam em torno da pequenina imagem, a mesma ainda não tinha um nome. Dona Virgínia pediu a Deus e mais uma vez, em sonho, recebeu a iluminação divina: avistou um grande salão cheio de flores brancas, um banco com três moças sentadas e um armário que guardava a imagem. De repente, a porta do armário se abriu e as três moças exclamaram, uma após a outra: “Nossa… Senhora… Piedade!”.

E a comoção foi tão grande, que o bairro Tijuco Preto se transformou em bairro Nossa Senhora da Piedade, onde hoje está localizado o Santuário. Mas tudo começou com uma pequena capelinha, ao lado do quarto de dona Virgínia. E pela intercessão da Santa, muitos que acorriam até Ela matavam sua sede, literalmente. Um dos primeiros milagres foi quando a falta d’água começou a afetar a vida de alguns cafeicultores. Dona Virgínia suplicou, e alguns dias depois os trabalhadores viram rolar por sob as folhas de café um filete de água. No início até pensaram ser uma cobra, mas depois perceberam que se tratava verdadeiramente de água, que não regou apenas as plantações e matou a sede daqueles trabalhadores, mas abasteceu o bairro por muitos anos.

Todas as manhãs dona Virgínia tirava a imagem da cabeceira de sua cama e levava para a pequena Capela, trazendo-a de volta ao anoitecer. Uma vez por mês o padre ia até o local celebrar a Eucaristia. O número dos devotos crescia cada vez mais.

A nova Igreja

A capelinha se tornou pequena para acolher os devotos de Nossa Senhora da Piedade. No dia 16 de maio de 1948, o padre Agostinho Picard deu a benção da pedra fundamental da nova Igreja. A arrecadação dos donativos e o pagamento dos pedreiros ficaram por conta do senhor Sebastião José Dias. Muitos trabalharam na construção, além dos fazendeiros que enviavam seus empregados para ajudar nas obras. A comunidade se organizou com festas e quermesses, que ajudaram na arrecadação do dinheiro. Em 1952 a Igreja recebeu a pintura externa, praticamente finalizando suas obras. A antiga capelinha foi demolida, dando lugar à atual casa paroquial.

Dona Virgínia, aquela que Deus usou para propagar a devoção à Nossa Senhora, faleceu no dia 9 de janeiro de 1957.

Sonhos maiores

Mas com o número de romeiros aumentando todos os anos, reconheceu-se que aquela Igreja deveria receber uma atenção especial. No dia 12 de agosto de 2007, a Igreja de Nossa Senhora da Piedade foi dedicada e elevada à dignidade de Santuário pelo então Arcebispo, Dom Ricardo Pedro Chaves Pinto Filho – Opraem.

Para isso foram levados em consideração a trajetória da peregrinação dos devotos que ocorriam desde o ano de 1915, o grande fluxo de fiéis e os relatos de graças alcançadas pela intercessão da “Senhora da Piedade”.

O Santuário da Piedade, consagrado pelo povo com modéstia e simplicidade, se tornou um lugar de oração e peregrinação, para se viver e testemunhar o amor de Deus. Ele tem sido berço de fé de muita gente, porta de entrada para a vida sacramental, templo de consagração de vida e vocação dos devotos.

“Para mim, um local de encontro amoroso da Mãe intercessora junto à comunidade. Lugar sagrado de manifestação de Deus que ouve as intercessões de Maria. Local de aprendizado e crescimento. Lugar de graças e bênçãos a todo momento”, definiu a paroquiana, Maria Lúcia de Melo Rosa.

E os relatos de Graças e milagres são muitos. A dona de casa, Fátima Maria dos Santos Balbino, foi uma das que têm muito a agradecer a Deus.

“O médico havia declarado que eu iria tossir sempre, por causa do meu problema cardíaco. Pedi uma graça a Nossa Senhora da Piedade e dois dias depois, a tosse parou”, relatou.

Relatos que chegam, também, àqueles que moram ao redor do Santuário.
“Já ouvi e presenciei uma graça na vida de um casal que recorreu a intercessão de Nossa Senhora da Piedade, por seu filho que estava internado com problemas sério. A família pediu em oração e a criança recém-nascida recebeu a graça de Deus”, contou Paulo Henrique Dias.